Momento crucial

by | Jul 11, 2019 | Colunistas, Movimento | 0 comments

Em ano em que praticamente um terço dos atletas do WCT masculino são brasileiros, o país do atual campeão do mundo, Gabriel Medina, figura com apenas três entre os dez primeiros colocados do ranking. No feminino, Tatiana Weston-Webb é a esperança solitária que ocupa o atual sétimo lugar. No entanto, resultados longe de serem ruins para a Braziliam Storm, que já venceu duas das cinco etapas disputadas.

Nas águas de Saquarema, Filipe Toledo, com um tubo e um aéreo, descolou uma nota 9.37 na final contra Jordy Smith. Uma outra onda de 8.67 garantiu a esmagadora vitória com um total de 18.04 contra os apenas 8.43 do sul-africano. A última vez que a etapa do Rio não ficou na mão de um brasileiro foi em 2016, quando John John Florence venceu a final contra o australiano Jack Freestone.

O campeonato agora vai para o gélido inverno sul-africano na baía de Jeffreys Bay. Chegamos na metade da temporada. Um triunfo brasileiro pode representar uma aproximação dos líderes e até uma eventual liderança. Começa a se desenhar quem serão os postulantes ao título. O líder John John Florence, com a ruptura nos ligamentos do joelho, despede-se de forma precoce da temporada 2019. Buscava o tricampeonato mundial. O que, no Havaí, apenas o lendário Andy Irons conquistou. Três é o mesmo número de títulos que busca Gabriel Medina, um feito inédito para o Brasil.