Selecione a página

Meditação: Feche os olhos e abra a mente

por | mar 23, 2020 | Corpo e Mente | 0 Comentários

Estudos e a prática mostram que meditação pode ajudar no tratamento de insônia, depressão e ansiedade

Alinhe o corpo, confortavelmente.Relaxe os pés, as pernas, os braços e a face. Respire fundo. O que você sente? Felicidade? Frustração? Apenas observe. Mantenha a respiração lenta e profunda. Veja como o ar entra e sai. O ontem, o amanhã, nada disso importa agora. Um pensamento vem, deixe-o partir. Concentra-se no momento presente. Pronto, você está meditando.

A prática milenar vinda do Oriente promete mudar a vida, reaproximando o ser humano de sua natureza. Ferramenta de busca por autoconhecimento e consciência plena, a meditação também tem sido alternativa para combater sintomas de doenças psicológicas e melhorar a qualidade de vida. Estudos da Universidade Federal de São Paulo comprovaram que a meditação reduz os sintomas de ansiedade, depressão e insônia. “O mundo contemporâneo nos trouxe grandes avanços em tecnologia, comunicação e ciência. Mas também trouxe consequências físicas e psíquicas. A correria do dia-a-dia, o estabelecimento de metas. O tempo parece que ficou menor e, dessa forma, as pessoas conversam menos, se encontram menos, se olham menos, abrindo espaço para doenças como a depressão”, explica a psicóloga Flavia de Medeiros.

“A cura para a vida é a vida”

Assim, o especialista em Psicologia Oriental Gerson Jung define o remédio para todos os males. “A meditação atua tanto na área da medicina quanto da psicologia, ela cura de dentro para fora. Através dela, paramos o processo mental para acalmar o corpo, as emoções e os pensamentos e, então, agirmos na raiz do problema, que não é simbólica, mas energética”, pontua. 

Mais do que combater as desordens, a meditação é uma excelente prevenção. “Quem medita é mais feliz”, defende Raquel Fisher Barros (F), instrutora na Prema Kriya Yoga. “Meditar elimina bloqueios energéticos, limpa a mente e purifica os canais sutis. A pessoa fica mais leve, plena, com mais energia positiva, saúde e vigor. E é comprovado cientificamente que a meditação fortalece o sistema imunológico e nervoso, combate o estresse, a ânsia e a fatiga . É um antidepressivo natural e um rejuvenescedor do sistema humano”, enumera. 

Como ela, para muitas pessoas, a porta de entrada para a meditação é o yoga, que alia as técnicas de concentração com posturas físicas. Giovana Longhini, praticante e professora, também iniciou sua caminhada assim. “A meditação me tornou mais consciente sobre mim mesma, meus pensamentos e minhas atitudes. E o maior impacto foi nas relações com as pessoas, pois respondo a elas com mais clareza e consciência ao invés de simplesmente reagir. Você passa a compreender os outros melhor quando compreende melhor a si mesmo”, relata.

Será, mesmo?

“Fisiologicamente, o estado de repouso físico e mental, aliado às práticas respiratórias, equilibra o sistema nervoso autônomo e interfere na produção de hormônios do bem-estar, como endorfina e serotonina”, explica a educadora física Ana Luiza Melo. A rotina de estresse aumenta a produção substâncias como adrenalina e cortisol, além de acelerar o batimento cardíaco, dificultando a digestão e eliminando menos toxinas. Segunda Ana, doenças como glaucoma, hipertensão, diabetes e cardiopatias podem ser prevenidas com maior equilíbrio do sistema nervoso autônomo, ou seja, por meio de atividades de calma e relaxamento. 

 

Experimente você também!

São muitas as técnicas de concentração. Desde as transcendentais e silenciosas até as barulhentas meditações ativas do filósofo indiano Osho. Giovana explica que, a melhor forma de encontrar a prática ideal é experimentando. “Uma maneira simples e fácil é contar as respirações É preciso se sentar com a coluna ereta (pode ser com as pernas cruzadas, sob uma almofada ou em uma cadeira com os pés no chão), os braços relaxados com as mãos sobre as coxas ou joelhos e os olhos fechados. Comece a notar sua respiração e contá-la. Inspira e expira, 1; inspira e expira, 2; até chegar no 5 e recomeçar no 1. Aconselho iniciar com períodos de 5 ou 7 minutos e aumentar gradativamente, pois a mente precisa se acostumar com esse exercício. Hoje em dia, também existem muitos aplicativos que te guiam durante a meditação e isso ajuda bastante”, sugere. Pronto para começar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *