Selecione a página

O poder do Agora

por | fev 1, 2020 | Colunistas | 0 Comentários

Tenho em mim uma grande ânsia de compartilhar os ensinamentos valiosos que a vida me traz. Por meio de pessoas comuns, mestres, livros ou por meio de percepções que eu mesma não sei como explicar. Vêm como sentimentos. Ultimamente venho experimentando “O poder do Agora”, uma fórmula da felicidade, o começo do fim pela busca incessante.

O Poder do Agora é também um livro. Um daqueles que todo mundo deveria ler em algum momento de sua jornada. Que ensina, de maneira prática e didática, a viver no momento presente. E por mais que acreditemos ser essa nossa realidade, ela muitas vezes não é. Muitos sábios defendem que o sofrimento está ligado ao tempo. Por transitarmos com a mente para o passado ou para o futuro. E que no tempo presente, no Agora, o sofrimento não existe. 

O quê você está fazendo nesse exato momento? Lendo esta coluna neste jornal impresso colorido, neste pedacinho do céu na terra, certo? O quê você está sentindo? Você tem alguma dor ou incômodo AGORA? Observe seus sentimentos também. Algo te perturba nesse exato instante? Não algo que você deva fazer amanhã, ou daqui a dois minutos. Mas AGORA. Como você está AGORA? É isso que importa!

Se conseguirmos manter nosso foco e atenção no exato momento presente, veremos que grande parte do sofrimento e angústia é causado por coisas que já aconteceram – e não importam mais – ou preocupações que ainda  não chegaram – ou sequer chegarão!

Onde quer que esteja, esteja por inteiro. Sinta a sua presença. E a daqueles que estão ao seu lado. 

Estamos sempre ‘esperando’ alguma coisa. O final de semana, as férias, o aumento, o verão, a formatura, o sucesso, a riqueza, o amor. “Não é atoa que as pessoas passem a vida toda esperando para viver”, diz o autor Eckhart Tolle. Como tudo na vida, esse estado mental requer prática. Mas posso compartilhar com você que vale a pena experimentar. Que tal começar AGORA?

Sobre o autor

Glaucia da Rosa Damazio

Quando escrevo tantas histórias sobre outras pessoas, fica difícil falar de mim mesma. Eu sou instinto de compartilhar. Vontade de comunicar. Prazer em ouvir. Gana de falar. Eu posso ser daqui a pouco uma nova, depende de qual outra história me atravessar. Eu sou um pouco de cada uma delas, ou todas juntas, somadas às minhas. Eu sou sua dor e sua alegria. E às vezes eu não sou. Eu sou natureza. Sou mar, sou terra, sou ar, sou fogo. E amanhã eu descubro mais um pouquinho de quem sou. E as melhores descobertas são as que vão parar no Jornal PDR!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *