Um mundo sem plástico

by | Nov 26, 2019 | Sem categoria | 0 comments

Não dá bola pra sacola – por um mundo sem plástico

“No Brasil, cerca de 1,5 milhão de sacolinhas plásticas são distribuídas por hora. Vivemos em uma era em que as pessoas consomem mais do que necessitam. O plástico, além de atingir a nós, prejudica toda a vida marinha, porque a maior parte do nosso lixo acaba nos mares, virando comida de animais, que morrem engasgados, presos ou sufocados. Não temos políticas públicas suficientes que incentivam a reciclagem.
Na semana do meio ambiente, em junho desse ano, foi realizada uma limpeza na Lagoa de Ibiraquera, próximo da Escola Justina da Conceição Silva, com alunos do 6º ao 9º ano. Lá, foram encontrados diversos tipos de resíduos, como sacolas plásticas, canudos, garrafas pet, tampinhas e o mais coletado, as bitucas de cigarro.

Quando se trata de sacolas plásticas a primeira atitude é RECUSAR. Caso não seja possível, entra em ação a segunda atitude: REDUZIR, aproveitando toda capacidade da sacolinha que foi pega. Aí, entra a terceira atitude: REUTILIZAR. 

Podemos fazer a diferença individualmente, com atos simples, como recusar embalagens plásticas, cuidar das plantas do bairro, tentar se locomover com meios sustentáveis, separar o lixo, consumir menos carne, racionar o uso da água e pensar bem antes de comprar. Que tal se perguntar: “Estou mesmo precisando?” Se pararmos para pensar um pouco, percebemos o quanto produzimos de lixo em um supermercado, comprando alimentos embalados em plásticos.

Diante das sacolas plástica, podemos ter a seguinte atitude: A compra é pequena? Será que não cabe na sua bolsa ou bolso? Você já tem uma bolsa retornável? Que tal adquirir uma economizar seis sacolinhas plásticas? Está certo que reutilizamos as sacolinhas como sacos de lixo, mas pense bem: você não usa mais escolinhas do que realmente precisa?” 

Gabriel Souza da Silveira (15)

9º ano Escola Justina Conceição Silva. 

Gabriel, colega Sabrina Marques Gonçalves e a professora de ciências Larissa Gabriely Fernandes levaram o projeto “Não dá bola pra sacola – por um mundo sem plástico” para a Feira Regional de Ciências e Tecnologia em Laguna, em outubro e conquistaram o título de 2º melhor projeto na avaliação dos professores. Seu objetivo é propor um projeto de lei para racionalizar o consumo excessivo das escolas plásticas, apresentando alternativas mais sustentáveis para o município. 

Foto: Arquivo pessoal