A sua vida importa!

by | Sep 23, 2019 | Corpo e Mente | 0 comments

Setembro Amarelo, o mês de prevenção ao suicídio pede acolhimento, respeito e empatia

A morte em si já é um tabu. Morte por suicídio é ainda mais, pois toca em questões de escolhas, crenças e barreiras sociais. Tudo isso dificulta o diálogo. Mas ele é a maior ferramenta para vencer esse desafio. Os números do Brasil são de 32 casos de suicídio por dia, média de uma morte a cada 45 minutos, fatos que, na maioria das vezes, são surpresa para amigos e familiares. “O suicídio é sempre um acontecimento multifatorial, não existe uma causa isolada. É uma expressão final de um processo de crise vivenciado pela pessoa, que não se deve julgar. A pessoa quer terminar com seu sofrimento, não com sua vida”, pontua o psicólogo Marcos Vinicius da Rosa.

Falar e ouvir

“A fala simples, causa uma sensação de alívio imediato”, diz o texto “A Arte de Ouvir”, publicado no periódico europeu The European Sting. O estudo mostra a importância da conversa para quem consegue se expor e para quem é o receptor da informação. “É preciso ‘escutar’ aquilo que ‘ouvimos’, porque para ouvir basta que não sejamos surdos, mas para escutar é preciso abrir o coração quando os ouvidos estão disponíveis. Estar atento aos sentimentos da pessoa que escutamos é oferecer a ela uma oportunidade de olhar para si mesma, com alguém que no momento de dor está ao seu lado, para não seguir sozinha pelos caminhos que escolheu e agora estão difíceis de trilhar.”

Depressão não é loucura

A depressão é um transtorno que atinge pessoas de qualquer idade e é caracterizada pela perda ou diminuição de interesse e prazer pela vida. A pessoa com depressão apresenta sintomas como melancolia, sensação contínua de tristeza, alteração no sono e apetite, falta de concentração, dores pelo corpo, isolamento social, desesperança, sensação de inutilidade, perda de autoestima, alteração na libido, dentre outros”, explica a Psicóloga Fabiana Beckert (CRP SC 10684). “Depressão é uma doença como qualquer outra, não é sinal de loucura, nem preguiça e nem falta de responsabilidade. Tem situações que não conseguimos enfrentar sozinhos e, por isso, precisamos pedir ajuda. E não tem problema nenhum em pedir ajuda! Nesse processo, o auxílio psicológico é extremamente importante e fundamental. A depressão não é um transtorno simples, mas é tratável!

Seja um canal para a cura

Muitas vezes observamos em alguém próximo, um comportamento diferente, mais triste ou desanimado. E o acolhimento das pessoas mais que o rodeiam pode ser um grande passo rumo à cura. “Ofereça sua ajuda como amigo, oferecendo um abraço, ouvindo e sendo uma boa companhia. Não julgue nem critique quem tem depressão, recomende buscar tratamento especializado com psicólogo”, sugere Fabiana. Empatia e respeito pelo sofrimento do outro – mesmo que você não compreenda – são a chave para conseguir ajudar.

O poder do abraço

“Tudo que a gente sofre, num abraço se dissolve.” A vida não é tão simples como a música do Jota Quest, mas o abraço é, sim, um poderoso antídoto para a tristeza e o sofrimento. Ele provoca mudanças químicas no organismo, liberando oxitocina, hormônio responsável pela construção de laços, redução do estresse, diminuição da pressão arterial e da ansiedade. Faz parte das nossa comunicação não verbal. Então, não poupe! Abrace e deixe ser abraçado!

Terapias alternativas

Que tal começar uma prática que te ajude a superar os problemas, que te fortaleça ou te aproxime do teu “eu”? Cada pessoa é única e se identifica mais com uma ou outra técnica. Dentro das terapias holísticas, uma enorme gama de técnicas pode ajudar no processo de cura física, mental e emocional. “As técnicas de meditação são uma maneira precisa e científica de mergulhar mais profundamente no nosso ser, esvaziando de tudo aquilo que nós não somos. Esvaziando dos nossos pensamentos, das projeções, das ideias”, explica a terapeuta Divya Jyoti. “A Meditação não é a solução para nenhum problema em particular, ela não resolve nada! Ela simplesmente o ajuda a sair da mente, a criadora de todos os problemas. Você é deixado em pura paz, um grande silêncio prevalece. Esse silêncio é a solução. Essa paz é a resposta. A resposta de todas as respostas”, completa citando o mestre Osho.

“Já o Reiki auxilia a nos desenvolver de forma espiritual e criativa; nos torna mais conscientes de padrões de energia, de sistemas de crenças, de pensamentos negativos e comportamentos que dificultam a conquista da nossa liberdade pessoal e autorrealização”, define.  “A meditação, tanto quanto o Reiki, são ferramentas que possibilitam assumir a nossa autocura”, completa.

“O thetahealing é uma técnica de cura através da entrada e permanência em estado theta durante o atendimento. Isso nos permite quebrar padrões de comportamento, substituindo as crenças limitantes por consciências amplas e elevadas a respeito dos aspectos trabalhados, rompendo barreiras internas e nos permitindo a experiência imediata de um novo ciclo vibratório e de nossa própria realidade, que é criada a partir dessas vibrações”, complementa a terapeuta Renata Santos.

Prevenir é sempre o melhor remédio

Cuidar da saúde da mente é tão importante quanto da saúde do corpo. “A principal forma de prevenir a depressão é a composição de realizar atividades prazerosas, ter uma dieta equilibrada, a prática de exercícios físicos, ter uma rotina saudável, meditação, autoconhecimento e psicoterapia”, sugere a psicóloga Fabiana. “Acredito no potencial de superação que cada ser humano carrega dentro de si”, encerra.

Como você se sente hoje?

O Centro de Valorização da Vida (CVV) presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato. A equipe atende 24 horas por dia, no Brasil inteiro, pelo chat no site cvv.org.br, no telefone 188 ou até pessoalmente. A sua vida importa!

Fonte: CVV.org.br